domingo, 23 de Dezembro de 2007

Desejo-vos a todos...

...um Feliz Solstício de Inverno!
Para quem não sabe, dá-se o nome de solstício ao dia mais curto (de inverno) ou longo (de verão) do ano. Quando no hemisfério norte (o nosso) se dá o de inverno, no hemisfério sul dá-se o de verão, e vice-versa! A palavra de origem latina (Solstitium) está associada à ideia de que o Sol devia estar estacionário, ao atingir a sua mais alta ou mais baixa posição no céu.
Este dia é associado ao Natal, e também, ao nascimento de Jesus... Ora, longe de mim querer gerar discussões religiosas ou abanar os pilares culturais e religiosos de quem lê o que vou dizer a seguir, a minha fé também assenta nesses mesmos pilares e neles continuarão. Apenas quero que façam a vós próprios as mesmas questões que eu fiz a mim próprio e encontrem as vossas próprias respostas.
Segundo o autor deste site, e passo a citar porque não vale a pena dizer o mesmo por outras palavras, apenas não pude deixar de traduzir a linguagem brasileira para português:

"A comemoraçao do solsticio de inverno foi totalmente modificada e readaptada pelo Império Romano e as gerações subsequentes e esse Império. Foi em Roma que o solstício passou a ser conhecido como sendo a data fixa do nascimento do salvador da humanidade, do filho de Deus e não mais do Sol, filho da Luz. Foi no ano de 336 de nossa era, que o Imperador Romano Constantino I, aproveitando os festejos do solstício da luz, anunciou para os povos do império a nova religião de Roma e contou a historia do seu salvador. Essa religião tomou como base para a sua formaçao, muitas das valiosas e preciosas informaçoes mais antigas. O nascimento do filho humano de Deus na Terra na mesma data do nascimento do sol, foi uma dessas adaptaçoes feitas para a nossa era. Roma simplemente usou uma data que já existia como festejo tradicional dos povos e criou um novo motivo para as pessoas de todas as religioes continuarem comemorando.

Desde que Roma modificou os motivos dos festejos, o solstício perdeu o seu significado real e com o tempo, este festejo passou a ser comemorado como o "Nascimento do filho de Deus", essa data que hoje conhecemos como Natal.

Foi a partir dos significados místicos e das informações sagradas deixadas pelas antigas civilizações, que o Império de Roma construiu as bases de sustentação para a formação de sua religião, até então inexistente. Com as informações sagradas, foi mais fácil tornar possível a modificação das "histórias" sobre o nascimento, crucificação e ressurreição de um filho de Deus na Terra.

Baseando-se nos escritos antigos encontrados na índia, no Egipto, nas escolas iniciáticas antepassadas e nos templos sagrados, os ministros de Roma elaboraram uma religião para o até então império pagão. Roma era um império que recolhia taxas dos territórios ocupados pelo Imperador e não um império religioso. Roma era uma potência de guerra que implantava um poderoso comércio financeiro entre os povos. Até Constantino I, Roma deixava os territórios ocupados livres para praticarem suas religiões, depois de Constantino, Roma passou a ser conhecida como sede da religião Católico Apostólica Romana.

Quase todas as informações verdadeiras foram recolhidas pelo império, muitas das informações sobre o nascimento da luz pela virgem mãe na Terra, sobre os seres de luz que estavam na Terra, sobre os mestres que curavam, andam sobre as águas e ressuscitavam foram interpretadas e readaptadas pelos ministros do imperador com o intuito de formatar uma religião única para o Império.

O solstício de inverno era uma data comemorada por todos os povos de todas as religiões pois se tratava do nascimento do novo ciclo do sol sob a Terra. Essas informações do solstício ainda estão registradas nas paredes dos monumentos egípcios e nos registos dos indianos. O solstício também estava registrado nas antigas escrituras sagradas e em muitos livros que foram destruídos e queimados pelo Império Romano.

(...)

Foi através da formação do que ficou registrado em Roma como o concilio de Niceia, concilio formado por 800 dos mais sábios ministros de Roma, que Roma mudou toda a história da humanidade. Esse concilio foi criado pelo império Romano no ano de 336 com o intuito de criar uma religião oficial para o império. Roma elaborou não somente um novo calendário para o mundo, como também mudou o rumo da humanidade, atirando as pessoas no que nos chamamos de era da escuridão. Foi a partir do controvertido livro religioso criado pelo concilio de Niceia, que perdemos completamente a consciência de quem de facto somos. Essas confusões foram e são motivo de muitas guerras que ainda acontecem no mundo. Actualmente são mais de 2500 diferentes religiões que interpretam a bíblia de formas contrárias a Roma.

A bíblia demorou 4 anos para ser escrita e elaborada e nela estão reunidas muitas informações sagradas, porém essas mensagens e códigos estão misturados com informações manipuladas pelas mentes mais dominadoras.

(...)

As civilizações mais antigas consideravam o Sol como sendo o filho da luz, a luz para aqueles povos representava Deus em vida.

Entre os druidas por exemplo, o solstício era comemorado como o dia da fertilidade. Muitas virgens escolhiam essa data para perderem a sua virgindade e muitas mulheres tentavam engravidar no mesmo dia do nascimento do sol.

Entre os povos asiáticos, o solstício era representado por um velho de barbas brancas e roupa vermelha e branca. Esse ser representava Deus na Terra e os asiáticos acreditavam que esse Deus encarnado trazia para a humanidade o seu filho sol.

Na astrologia esta data do solstício é reconhecida como o dia em que o sol atinge o seu grau mínimo de luminosidade na Terra. Por esse motivo, os magistas e filósofos chamam esse dia de dia do renascimento da luz... Depois do dia 21 de Dezembro, o sol renasce e recomeça o seu ciclo em torno do planeta.

Os Egípcios festejavam o solstício com rituais de magia que envolviam os cultivos de sementes e as fecundações...

Os Indianos festejavam o solstício transcendendo os corpos em rituais dimensionais mágicos...

Os Maias elaboraram um perfeito calendário usando o solstício como o inicio do ciclo do sol e da lua na Terra... Nos períodos de 21 de Dezembro e 21 de Junho, a radiação do sol na Terra atinge o seu momento máximo e os Maias projectaram esses ciclos num calendário que vai até o dia 21 de Dezembro de 2012."

O autor depois contínua, mas já com a sua opinião pessoal, a qual acho extremista, por isso não a coloquei aqui mas se a quiserem ler sigam o link acima.

Agora, a meu ver estas informações, se verdadeiras, põem em causa toda uma série de argumentos que justificaram guerras (cruzadas, guerras santas) , chacinas, genocídios (apartheid, Klu Klux Klan, Hitler e os Judeus) homicídios, bombistas-suicidas, mártires, e por aí... acho que tudo o que se possa fazer de mau a um ser humano já foi feito em nome da religião. A religião foi o bode expiatório e o motor de muitos acontecimentos horríveis na história da humanidade, como podem tantas pessoas morrer e sofrer em nome de algo que pode ser totalmente falso e manipulado? É indescritível na minha opinião...

No entanto, a religião é capaz de facto de fazer milagres, milhões de pessoas têm vidas melhores e sobreviveram a verdadeiras provações com a sua ajuda. Fê-las seguir em frente e olhar para cima quando não podiam descer mais baixo, seja por drogas, perda de familiares - devido a guerras por exemplo (oh the irony...), acidentes, etc. Serve também o papel de mentor de moral humana, usando a sua força e influência, impondo a força do perdão e do pacifismo (actualmente),definindo bem e o mal (a definição dos 10 mandamentos e dos 7 pecados mortais deram origem à justiça e igualdade entre todos os seres humanos), por exemplo...

A conclusão a que eu chego, é que as pessoas são só... pessoas. Precisam de acreditar em algo, desde o princípio da humanidade que isso acontece, seja em Buda, Deus, Alá, Zeus, extraterrestres, Osíris, Elvis Presley... A necessidade está dentro de nós, e dependendo da sociedade onde nascemos, a respectiva religião é-nos embutida para satisfazer essa necessidade e nós não somos obrigados a seguí-la, podemos optar por outra.
Os crimes são cometidos por pessoas, não por deuses ou entidades superiores. Elas cometem-nos por aquilo em que acreditam, mas também... por dinheiro, por sexo, por qualquer coisa... Conseguimos ser assim, crús, selvagens. Precisamos que algo superior nos guie e oriente...
O que interessa se a religião em que acreditamos é falsa, se em nome dela constroem-se instituições que acolhem as nossas crianças e idosos desafortunados, se graças a ela o nosso amigo ou amiga finalmente larga as drogas e segue um caminho digno, se ela dá as condições para que o aborto não seja a única opção disponível, para que a fome e a miséria acabem...
A religião é feita pelas pessoas, e deve ser feita para as pessoas, deve servi-las, não o contrário! De certeza que foi isso que o concílio de Roma também procurava, e não a justificação para genocídios e bombistas-suicidas...

Não mudei de opinião quanto ao Natal, vou continuar a celebrá-lo como sempre, em família, a dar e a receber felicidade. Tenho a certeza que vou comemorá-lo pelos melhores motivos, quer o tema seja o nascimento de Jesus ou o solstício de inverno. Mudei sim a minha opinião quanto ao meu papel no mundo enquanto crente e ser mortal que sou, responsável por ajudar o próximo e o pastor de quem amo e quero do meu lado. Pode não ter existido O carregador da cruz, mas a moral da sua história não podia fazer mais sentido e é da responsabilidade de cada um fazer o melhor que se pode para que ninguém alguma vez tenha que carregar o que ela representa.

O melhor dos Natais a todos vós e muita paz e felicidade é o que vos desejo!
Muito ficou para dizer sobre os factos científicos dos solstícios - equinócios, trópico de cancer, trópico de capricórnio, círculos polares estão relacionados com eles. Por isso deixo-vos a página da wikipédia aqui referente a essa matéria, é bastante interessante, dêem uma olhada quando estiverem com paciência. Infelizmente está em inglês :(
Outra sobre a mesma temática e desta vez em brasileiro e também muito completa encontra-se aqui!
E porque não esta excelente imagem do solstício de inverno de 2005 em APOD?!

Deixo-vos com a minha música favorita do momento: Puscifer - Rev. 22:20 (Dry Martini Mix)
Um grande abraço!*

terça-feira, 18 de Dezembro de 2007

O cosmos do floco...

Ainda agora assisti a um documentário no canal História sobre a neve e flocos de neve... Essas pequenas criações naturais deixaram-me surpreendido pela sua beleza e também pelos factos apresentados no documentário! Senão, ora dêem uma olhada a algumas fotografias:


Imagens de cristais de neve (retiradas de SnowCrystals.com)

Como é que algo tão complexo nasce do simples congelamento de vapor de água?!
Bem, muito (muito muito) resumidamente falando, duas coisas ocorrem: a facetação e a ramificação (links em inglês). É do frágil equilíbrio entre estes dois acontecimentos que as variadas formas dos cristais de neve ocorrem.

Diagrama de crescimento dos cristais (retirado de SnowCrystals.com)

De simples não tem nada! Esta complexidade leva a que se afirme que não existam dois flocos de neve precisamente iguais, em toda a história do nosso universo. Como explica o autor do site já supracitado (explicação detalhada aqui), pensemos em quantas maneiras temos de dispor 15 livros numa prateleira... Para o 1º existem 15 posições disponíveis, para o 2º existem 14, para o 3º apenas 13, e por aí fora. O resultado é de mais de um trilião de maneiras de dispor apenas 15 livros... agora imaginem 100 livros, o número de possíveis maneiras de os dispor sobe para 10158 ( é um 1 seguído de 158 zeros). Esse número é cerca de 1070 vezes maior que o número total de átomos existentes no universo inteiro!
Se olharem com atenção para um cristal de neve complexo podem-se distinguir 100 características diferentes, como essas características podem ter crescido de modo ligeiramente diferente ou aparecerem dispostas em diferentes sítios do cristal, a mesma matemática pode-se-lhes aplicar! Daí o número de formas que os cristais podem ter é absolutamente enorme, podendo-se afirmar que é improvável que quaisquer dois cristais de neve complexos de toda a história do nosso planeta sejam completamente iguais!
É claro que nem todos os flocos são como os das fotografias anteriores, aliás, a maior parte não possui uma simetria hexagonal perfeita, apresentando-se distorcidos. São esses os mais comuns! e pronto, espero que tenha despertado a vossa curiosidade e fascínio para este micro cosmos e tudo o que o envolve! Muito ficou por dizer mas deixo-vos com alguns links relacionados:

SnowCrystals
Wikipédia - Neve
Wikipédia - Curva de Koch (pouco tem a ver com flocos de neve mas deveras interessante)
Design a snowflake online

Espero que neve este ano de novo cá na térrinha, pode ser que caiam dois flocos iguais ;) Até lá!*

quarta-feira, 28 de Novembro de 2007

Um mês que se destaca...

Era engraçado se o layout do blog fosse ficando coberto de pó e teias de aranha à medida que o tempo ia passando sem o actualizar-mos... Assim sendo, este já precisaria de uma boa limpeza!

Tem sido um mês cheio de emoções, especialmente na segunda semana - realizei os meus últimos exames para acabar o curso, comemorei o meu 23º aniversário no sábado na companhia dos omnipresentes amigos (alguns infelizmente não puderam ir :-( ), e passei o domingo com a noite em branco para acabar o projecto - mas ficou feito!!!
Agora que tudo já passou e as notas já foram lançadas, estou formado e sem emprego hehe, consegui um tempinho livre para passar por aqui *cof cof*...
O meu irmão partiu um dedo da mão e está engessado até ao cotovelo, era uma história engraçada para contar, tendo em conta que aconteceu as 9 da manhã e só ao fim do dia é que ficou despachado dos médicos e hospitais, etc. Tivemos oportunidade de ficar a conhecer por dentro o nosso "serviço de saúde". As melhoras para ele, hoje vai a uma consulta para ver se já pode tirar o gesso!
Entretanto, já mais de 100 visitas ao blog foram contabilizadas - WEE, YEAH BABY! É um número modesto, eu sei, mas não deixa de ser um marco!

Um vírus no computador tem-me ocupado o tempo, lá se foi o Windows... não faz mal, em principio hoje já tenho o cd para poder formatá-lo, também já era uma coisa que queria fazer há muito.

In a non related topic, e que tal um vídeo com algumas explosões de bombas atómicas?! It'll blow you off...


Face Of Death - Nuclear Explosions - For more of the funniest videos, click here


E que dizer da minha música favorita do momento: Robert Rodriguez - Grindhouse Main Title (Grindhouse OST)

Cya!*

quinta-feira, 25 de Outubro de 2007

Fotografias que valem mais que mil palavras...

Aqui podem encontrar uma fotografia de astronomia diferente por dia (como a que se encontra por baixo), sempre acompanhadas de uma breve explicação do que nela se observa. Pretty neat!

Pormenor da Nébula do Pelicano

Encontrei também há algum tempo um documentário da BBC, legendado em português brasileiro, que fala sobre a procura por parte dos cientistas de uma teoria que unificasse todo o Universo, podendo a partir dela explicar tudo o que nele acontece. é bastante interessante (na minha opinião) daí encorajo-vos a vê-lo:



Também o podem encontrar aqui se não o conseguírem/quiserem ver nesta página.

Deixo-vos, um abraço!*

sábado, 13 de Outubro de 2007

Feeling lucky today?

Btw, lembrei-me agora, nessa ficha de probabilidades do meu irmão também estava calculada a probabilidade de se ganhar o Euromilhões com uma aposta simples.
É nada mais nada menos que 1 em 76 275 360 de possibilidades, se for uma aposta dupla será 2 em 76 275 360, duplicando as hipóteses de êxito, e por aí adiante...

Ainda em relação ao post anterior, graças a uma pesquisa levada a cabo pela minha cara-metade, descobri o nome do filme que aí mencionei, chama-se Proof, título português: Entre o Génio e a Loucura. Anthony Hopkins e Gwyneth Paltrow estão presentes, sendo o personagem interpretado por Anthony Hopkins que associo ao matemático Andrew Wiles.

E pronto! Até à próxima!

quinta-feira, 11 de Outubro de 2007

Um romance matemático...

Encontrei este texto numa ficha de probabilidades do meu irmão, ele frequenta o 12º ano, e quis partilhar com quem lê este blog. Pareceu-me bastante interessante. Senão, ora vejam:

A teoria das probabilidades iniciou-se com uma troca de correspondência entre Pascal e Fermat, a propósito de um problema que um nobre francês tinha colocado a Pascal, problema esse relacionado com um jogo de azar.

O nome Fermat aparece historicamente ligado a um teorema, um dos mais célebres de toda a história da Matemática.

Fermat tinha o hábito de escrever notas em papéis soltos ou nas margens dos livros que lia. Descobriu-se, após a sua morte, que muitas dessas notas eram verdadeiros tesouros.

Havia notas ligadas à Geometria Analítica, que inventou, ao mesmo tempo que Descartes, mas trabalhando independentemente deste; havia outras notas ligadas ao Cálculo Diferencial; outras à Teoria dos Números; etc. Uma dessas notas, escrita na margem de um livro de Diofanto, ficou particularmente célebre. Dizia assim:

«Sabe-se que existem números naturais x, y e z tais que x2+y2=z2. Por exemplo, 32+42=52, 52+122=132, etc. (são chamados números pitagóricos). Porém, se n é um número natural maior do que 2, não é possível encontrar três números naturais x, y e z, tais que xn+yn=zn. Descobri uma demonstração verdadeiramente admirável deste facto, mas esta margem é demasiado pequena para a conter».

Nunca se encontrou a demonstração admirável que Fermat diz ter feito, mas, depois da publicação desta nota, por um dos filhos de Fermat, os maiores matemáticos de todo o mundo tentaram demonstrar este teorema, que ficou conhecido como Teorema de Fermat. Passaram-se os séculos XVII, XVIII e XIX e ninguém conseguiu. Chegou-se a pensar que Fermat estava enganado e que a afirmação era falsa, mas também ninguém conseguiu encontrar um contra-exemplo.

Em meados do século XX, dois matemáticos japoneses, Goro Shimura e Yutaka Taniyana formularam uma conjectura complicada, numa área da Matemática que, aparentemente, nada tinha a ver com o Teorema de Fermat. Essa conjectura ficou conhecida como Conjectura de Shimura-Taniyana. Porém, alguns anos mais tarde, mais precisamente em meados da década de oitenta, um matemático americano, Ken Ribet, provou que a Conjectura de Shimura-Taniyana implicava o Teorema de Fermat. Portanto, para a prova deste teorema ficar completa, faltava "apenas" provar a referida conjectura.

Mas essa tarefa não era nada fácil. Provar a Conjectura de Shimura-Taniyana parecia, para a maioria dos especialistas nestas áreas da Matemática, uma tarefa tão complicada como provar directamente o Teorema de Fermat.

Até que, mesmo no final do século XX, mais precisamente em Junho de 1993, um matemático inglês, Andrew Wiles, deu uma conferência em Cambridge, dividida em três palestras, dadas em dias diferentes. O título da conferência não permitia adivinhar o que estava para acontecer. No primeiro dia, o número de pessoas a assistir foi reduzido. Porém, no final dessa primeira palestra, alguns dos assistentes começaram a adivinhar o desenlace e passaram a palavra, de tal forma que, no segundo dia, a assistência era muito maior. No terceiro dia, a sala estava a abarrotar. Adivinhava-se já o que iria acontecer. De facto, no final da palestra, Andrew Wiles concluiu: «Portanto, se n é um número natural maior do que 2, não é possível encontrar três números naturais x, y e z, tais que xn+yn=zn. O anfiteatro, completamente cheio, aplaudiu de pé, durante vários minutos. Andrew Wiles tinha acabado de demonstrar a Conjectura de Shimura-Taniyana e, portanto, o Teorema de Fermat. Andrew Wiles tinha trabalhado nessa demonstração durante sete anos, sem dizer nada a ninguém.

A demonstração, com 200 páginas, foi então examinada, por vários especialistas, em todo o mundo. Dois meses depois, um outro matemático, Nick Katz, que passou os meses de Julho e Agosto de 1993 a estudar a demonstração de Wiles, descobriu um erro. Andrew Wiles retirou-se para o sótão de sua casa, para tentar resolver o problema.

Durante vários meses, trabalhando dia e noite, não conseguiu. Andrew Wiles sentia-se definhar. Até que, passado cerca de um ano, mais precisamente na manhã do dia 19 de Setembro de 1994, já desesperado, decidiu dar um último olhar ao problema que havia na sua demonstração, antes de a deitar fora. Wiles concentrou-se profundamente durante meia hora. E então viu a solução. Nesse momento, saltaram-lhe as lágrimas, não conseguindo esconder a emoção.

A demonstração, já corrigida, foi novamente passada a pente fino, por vários matemáticos. Desta vez, não foi encontrado nenhum erro. Agora sim, estava finalmente demonstrado o Teorema de Fermat. O esforço da comunidade matemática, em todo o mundo, durante mais de três séculos, estava compensado.

Fixe ? Lembro-me agora que há um tempo vi um filme cujo tema era uma importante demonstração matemática. O que acontece no filme a uma das personagens é extremamente parecido com o que acontece ao matemático Andrew Wiles, talvez tenha sido baseado nesta história. Infelizmente não me recordo do titulo do filme. Fica para depois...

Hasta la vista!

terça-feira, 18 de Setembro de 2007

Bons amigos => boas cunhas hehehe (kidding)

Nos últimos dias tive conhecimento de uns projectos de uns amigos meus de há já muito tempo e achei-os bastante interessantes então decidi aqui partilhá-los com vocês (espero que eles não se importem, não lhes pedi autorização):

Um deles é uma banda de
metal chamada The Open Wound, no myspace deles podem já ouvir uma música original, bastante fixe na minha opinião, bem como conhecer os membros desta banda formada por ex-membros de outras já extintas (creio eu). Provavelmente também têm disponíveis (se não têm deviam ter) fotos e vídeos mas eu não confirmei porque é preciso registrar e isso é coisa que não possuo. Passem por lá e dêem-lhes uma força :)

O outro é uma empresa centrada na área da informática e dispõe de um conjunto vasto de serviços, onde se engloba a venda de material informático, apoio técnico e formação na área da informática, de nome ACINFOR. Passem por lá e comparem os preços, vejam as promoções bem como as novidades, decerto haverá alguma coisa que vos interesse.

Desejo-lhes boa sorte a ambos os projectos, que tenham muito sucesso e atinjam os seus objectivos!!!

Aproveito também a ocasião para colocar no meu blog uma lista de outros, pertencentes a bons amigos e familiares :) Passem por lá, vale a pena!

Btw Vinnie, obrigado pelo comentário ao meu último post (e também pelo apoio demonstrado nos outros comentários :D), assim já não preciso comprar uma PS2 hehe, com a guitarra deve ser muito mais fixe do que no teclado mas pode-se sempre comprar a guitarra e depois com um adaptador liga-se facilmente ao computador, am I right?

Um abraço e até à próxima!

segunda-feira, 17 de Setembro de 2007

Momento de hiato, o meu tempo tem sido tomado quase por inteiro pelo projecto de Instalações Eléctricas II e ainda falta um bocado até estar completo. Ainda não fiz nenhuma "directa" mas vou fazer, projecto sem directa não é projecto hehe! Também posso dizer que tenho sorte de ter os colegas de grupo que tenho, ambos possuem experiência no assunto e agrada-me imenso trabalhar com eles porque são bons amigos e sempre bem dispostos, estou a aprender muito com eles...

Deixando agora o tema do trabalho e passando ao da diversão, ao ver este vídeo fiquei com vontade de comprar uma PS2 e o jogo Guitar Hero 2, o tipo dá-lhe mesmo bem...


Vejam o solo a partir do 5º minuto se não quiserem esperar, aí é que verdadeiramente começa... Ele devia anunciar esta skill no seu currículo hehehe!

On a non-related topic, os meus pêsames para a família e amigos do Colin Mcrae e do seu filho, não consegui ficar indiferente à notícia, fez-me lembrar que não devemos tornar a vida como garantida, pode acontecer a qualquer pessoa em qualquer instante... Há que saber estimar o que temos e aproveitar os dias ao máximo!

Well, off to school I go... Ainda há muito para dimensionar e muito cabo eléctrico para desenhar!
Um abraço*

segunda-feira, 3 de Setembro de 2007

Sandra Nasic de volta!

No outro dia recebi um email de um grupo de pessoas que há muito me tinha esquecido, o Guano Apes fanclub, anunciando o regresso à cena musical da vocalista dos Guano Apes - Sandra Nasic.
Esta banda sempre teve muitos fãs em Portugal, tenho a sensação de que era quase a "segunda casa" deles e os seus concertos enchiam sempre (ou quase sempre)! São uma das minhas bandas favoritas pela energia que tinham em palco e claro, pelas musicas que compunham...
Infelizmente separaram-se devido a discórdias entre os elementos e cada um seguiu o seu rumo!
Agora a vocalista regressa com um álbum só seu e cheia de energia, álbum esse que já possui um ou dois singles, há já dois videoclips com músicas desse álbum na internet, acho que são os dois oficiais.
E aqui estão eles:

Sandra Nasic - The Name of my Baby


Sandra Nasic - Fever

Se querem a minha opinião, parecem-me ambas boas músicas, espero que o resto do álbum esteja como estas! Tem o melhor de Guano Apes nelas e a bela voz da Sandra...
Sandra keep it up!!!

Links
relacionados:
Site oficial da Sandra Nasic (em alemão)

Um abraço e portem-se :)*

segunda-feira, 27 de Agosto de 2007

Todos temos um poeta em nós, uns mais outros menos! O poeta em mim criou estes versos e eu dediquei-os (já há algum tempo) à pessoa que mais os merece! Hope you like it too :)


Amiga Leal

Que Ajuda sem Vaidade

Olhos Verdes, Puro Cristal

És Lágrima, és Água, és Verdade

Amante Caliente

De Beijo sem Pudor

Sensual, de Corpo Ardente

És Sangue, és Fogo, és Amor

Menina Melosa

Que comove, qual Criança

Bochechas tão Fofas e Mimosa

És Mel, és Vento, és Esperança

Alma de Ouro

Tão Simpática e Extrovertida

Cabelo Ondulado, Castanho-Louro

És Seiva, és Terra, és Vida


Ainda neste post, a minha música favorita do momento: Battles - Atlas

E minha frase favorita: "Don't want to go crawlin' back to ol' Mr. righty palmer to do the one hand waltz around the ballroom, eh?"

Fonte: Ctrl+Alt+Del Comic